top of page
  • bogdanskorupa@gmail.com

Eu uso: Cola Coqueiro

Atualizado: 3 de jun. de 2021

Por Bogdan Skorupa

Eu uso Cola Coqueiro, de origem bovina com 600 bloom. Uso para fazer colagens em geral, durante a construção de violinos, mas também para alguns restauros, tais como enxertos, colagem de tampo e fundo nas laterais. Aqueço em banho maria entre 50 e 60ºC e, geralmente, aplico com pincel de pelo de porco.

É uma cola como diversas outras colas de origem animal. Extraída de cartilagens, tendões, pele e outras partes ricas em colágeno. É resistente à tração e compressão. Fica mais resistente com a secagem e com o passar do tempo. Solúvel em água quente e, por isto, a colagem é reversível. Aplicando quantidade suficiente de água quente numa colagem feita com cola animal, ela se solta (nem sempre) com facilidade.


Conheço a tal Cola Coqueiro desde o segundo ano do curso de luteria na UFPR. Usei na construção do meu primeiro violino. Ficava um pouco contrariado por ter que esperar quase uma hora para hidratar a cola antes de usar. Foi uma certa "descoberta" poder usar gelatina clarificada no terceiro ano, durante a construção de uma viola da gamba. Hidrata em pouco mais de um minuto. Pronta para usar, é muito clara e tem um leve tom amarronzado. Muito diferente da cola coqueiro, que é marrom-escura.


Há dois anos, parei de usar a gelatina clarificada para colagens na construção, aquelas que precisam ser resistentes. O motivo? A viscosidade e a força do gel da gelatina clarificada são, ambas, baixas. Por temer perder junções importantes, passei a usar a cola mais forte.


A força do gel é um fator chave, e pode ser medida pelo teste chamado: Bloom. Ah, aliás, existem empresas especializadas que fazem o teste.

A gelatina clarificada que tenho foi testada como 200 bloom. A cola coqueiro, 600 bloom. Isto representa uma diferença na capacidade de manter duas superfícies unidas numa colagem, dada a força do gel, na ordem de 3 para 1!!

Certamente que a diluição afeta muito a força da colagem. Porém, uma mesma quantidade de cola diluída terá força de colagem maior. Veja bem, na comparação entre as duas colas, a cola coqueiro é 3 vezes mais forte que a gelatina incolor!! Seria preciso diluir menos a cola de gelatina incolor para efeito, talvez, semelhante. Talvez...


Certa vez, estava fazendo juntas de tampo e fundo de um violino. Tinha um pote cheio de gelatina clarificada em pó. Pensei: preciso da uma cola mais forte. Ora, fácil! Basta diluir pouco, deixando a cola bastante espessa. Foi o que fiz... coloquei tão pouca água, que nem chegou a cobrir a gelatina. Aqueci a cola. Puxando com o pincel, estava realmente caudalosa. Aqueci as superfícies de colagem com soprador térmico até ficarem mornas. Apliquei a cola grossa. Juntei e esfreguei uma peça na outra e... já notei que não estava bem -- uma peça escorregava sobre a outra. No dia seguinte, conferi a junta: aparecia um risco entre as duas partes. Tive que refazer com a cola mais diluída.


Além da diluição, notei que a cola feita com gelatina incolor gelatiniza -- geleifica, começa a se tornar gel, como uma gelatina depois de colocada na geladeira -- mais rapidamente que a cola coqueiro. Com a temperatura abaixo de 50 a 60ºC, isto acontece com todas as colas. A diferença está no tempo. Fora estes contratempos, ambas as colas funcionaram durante o tempo que as utilizei. Com a cola coqueiro, entretanto, durmo mais em paz.

Para a cola coqueiro, cubro o granulado com água para hidratar. Espero aprox. 1h. Acresço 1 parte de água (temperatura ambiente) para 1 de cola. Misturo com pincel de pelo de porco (barato e funcional). Aqueço em banho maria (num aquecedor para cera). Depois, dependendo da força da colagem que preciso, diluo mais. O ponto, para grande parte das colagens, fortes é uma mistura fluida, mas que forme um pequeno fio -- como a água do pêssego em calda -- quando tiro o pincel de dentro do recipiente.

Em 2013, lembro de ter pago algo em torno de R$16,00 por kg de gelatina clarificada (hoje encontro por R$60,00 por kg). A cola coqueiro foi fácil de achar no Mercado Livre, marca Incogel. Ano passado, custou pouco mais de R$40,00 por kg. Penso que vale muito a pena ter uma boa cola animal por este preço, como da Incogel ou Gelico


Adoraria ter no ateliê uma boa cola de osso para colagens que precisam ser mais rígidas. No Mercado Livre mesmo, há a Cromacolor (também tem cola de peixe, de coelho...). O preço? R$50,00... por 100 gramas. Ou seja, R$500,00 por kg! Por enquanto, continuo mantendo as coisas no lugar com a que tenho por aqui.

 

Não estamos sozinhos no uso da cola animal. Ela é amplamente utilizada, por exemplo:

Propriedades-chave de colas de origem animal (em inglês) - agradeço ao Fábio Vanini pela indicação

 

Posts recentes

Ver tudo

5 comentários


Iron Ferreos
Iron Ferreos
01 de out. de 2023

Olá. Existem lojas físicas onde pode se adquirir essa cola de origem animal, ou apenas pela internet?

Curtir
cafecomluteria
cafecomluteria
16 de out. de 2023
Respondendo a

Difícil acertar essa sem saber onde reside. Em Curitiba havia uma loja atrás da praça Tiradentes que vendia... hoje em dia, pelo MercadoLivre fica fácil pedir.

Curtir

Rafael Chaves
Rafael Chaves
29 de set. de 2023

Obrigado foi de grande ajuda .

Curtir

João Buratti
João Buratti
10 de mar. de 2021

Muito top, ótima experiência

Curtir
cafecomluteria
cafecomluteria
10 de mar. de 2021
Respondendo a

Obrigado por acompanhar! Esperamos aquele teu textão por aqui (aquela tua plaina pra juntas é uma belezura!)😉

Curtir
bottom of page