top of page
  • arcosifomin@yahoo.com.br

"Super bonder": poder não é dever

Atualizado: 13 de abr. de 2021

Nunca esquecerei um professor de biologia quando, durante uma aula, ele perguntou: “posso pegar uma água viva com as mãos?” E a resposta da turma foi unânime em coro: “Nãããão!” No entanto ele disse: “Posso! Mas existem coisas que a gente não deve fazer!”.


Algumas vezes na minha vida profissional, vi talões de arcos completamente permeados de super cola, que deram um trabalho excepcional apenas para abrir e remover a crina do talão ou da ponta e ainda, para limpar a cola dos encaixes. Porém, recentemente tenho visto mais vezes casos como esses.


E respondendo a pergunta: posso usar adesivo instantâneo na crina? Posso! E eu uso.

Mas existe a maneira correta de usar.


O motivo que leva alguém a usar um adesivo nos encaixes da crina de um arco pode ser a fixação ineficaz. No entanto, um encaixe com a forma correta, uma crina bem amarrada e um taquinho corretamente elaborado, não precisam de cola para serem eficazes na fixação da crina. É perfeitamente possível não usar cola alguma dentro do talão e se por acaso a configuração do orificio de encaixe da crina não estiver permitindo a fixação de maneira eficaz é muito melhor configurar o talão para isso, do que tentar colar a crina nele. Desta forma, é recomendável que um archethier busque esse objetivo com afinco no trabalho de troca de crina: fazer uma boa fixação.


Mas então, onde eu posso usar cola? Nas amarrações da crina, uso sem hesitar. Muitos utilizam ainda o breu quente batido na ponta da amarração, nada mau, porém é mais demorado e trabalhoso para efeito semelhante. De qualquer forma, as amarrações das pontas das crinas são partes que eu preciso que nunca mais se soltem. Então, esse é um dos príncipios para se usar super cola: use, se você não precisa reverter a colagem nunca mais.

No caso de colagens que devem ser reversíveis, lembre-se: outra pessoa terá que soltá-lo um dia. E pode ser você.

Temos outro problema relacionado à uma peça de fixação da crina, chamada cunha, que fica no anel por onde a crina sai do talão. Essa pequena peça de madeira tem a função da alargar o feixe de crina comprimindo-a contra o anel do talão. A cunha é posicionada entre a crina e o ébano do encaixe do anel. Ela fica com os vasos da madeira, ou seja, os poros, expostos e numa eventual variação brusca de umidade, geralmente se fizer um tempo muito seco, essa cunha costuma se soltar. Este é um problema que precisa de prevenção e justifica a utilização da super cola.


Por isso, com um palito de dente ou algo como um Hashi de bambu feito espátula, delicamente colocamos uma gota de super cola, mas atenção, menor do que o tamanho de um grão de gergelim, e depositamos essa gota entre a madeira da cunha e a madeira do talão. O segredo é saber usar a quantidade certa. O excesso de cola nessa parte do arco pode acarretar um problema catastrófico para integridade de um talão, justamente por isso, limita-se a quantidade de cola com o instrumento de aplicação.

Essa técnica se aplica para muita outras ciscunstâncias, mas, com exceção dessas partes do arco, o uso de superbonder é desaconselhado e a chave da sabedoria para descobrir se posso ou não usar cianoacrilato é imaginar as consequências desta ação.


Use com moderação.

52 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page